3 de nov de 2010

Eu não presto, mas eu te amo

Hoje em dia o equivalente é "Você não vale nada mas eu gosto de você", a safadeza é a mesma. Essa música, segundo vi no Letras.mus.br, que não é lá muito confiável, confesso, foi feita por Roberto Carlos (certamente com as mãos de Erasmo também), mas foi gravada além destes por Reginaldo Rossi, Demétrius e José Roberto (mais alguém?). Todas as versões são boas, a guitarrinha brega é fundamental e presente em todas elas. O que importa mesmo nessa música é a letra, a vibe de hoje é essa! Espiem só:



"Se você brigar novamente
Vou embora (chama Cardinot que é melhor)
Mas ouça bem o que eu digo agora (sim, fale)

Eu não presto, mas eu te amo
Eu não presto, mas eu te amo (eu já falei, vou repetir: adooooro a sinceridade das pessoas!)

Minha vida foi sempre assim
Mas pode mudar (é, não gosto de rotina também não)
Se você quiser, vou modificar

No meu carro fujo de tudo
Sempre correndo (eu vou, voando pela vida, sem querer chegaa-aaa-aaar)
Só vou parar você me querendo (eita danosse, ultimato: ou você me ama ou te mato, atropelada)

Todos dizem meu bem
Que eu tenho uma vida agitada
Que eu sou playboy
Não valho nada (eu não presto, não valho nada, eu sou de dia, sou da noitada)

Que eu não sou capaz
De amar ninguém de verdade (vai lá provar)

Eu só penso em minha vaidade (isso é gente egocêntrica e narcisista que joga no outro a mesma característica)

Eles vão meu bem
Condenar-me em cada gesto
Vão dizer também que eu não presto (mas isso eles já disseram, relaxa)

Acontece que já não é
O que estão falando
Ninguém sabe
Eu estou amando (ooooow, tá apaixonado, S2, S2)

Eu não presto, mas eu te amo (beleza, eu acredito cara)"

Nenhum comentário:

Postar um comentário