5 de ago de 2012

"Vou rifar meu coração"

Ontem assisti a esse filme aqui em Recife. Público escasso, pouquíssima gente mesmo, mas os que estavam ali presentes pareciam atores, sentiam tudo como eu o calor do amor e da música brega. A cada música daqueles que doem o cotovelo e o coração alguém gritava "Raaiga", "Eitaaaa" ou dava uma risada. 
O filme é simples, sem muitas tecnologias e efeitos, até porque isso não era preciso. O conteúdo é o que interessa e de fato se mostrou bem articulado. A falha é que os artistas apareciam e não aparecia legendas com seus nomes, mesma falha tida no filme "Explosão brega". Histórias simples e reais que só comprovam o lado brega que cada um de nós temos, "more na favela ou num apartamento à beira mar". Personagens cara-de-pau, amores perdidos, gaia, homossexualidade, esperança. "Vou rifar meu coração" é divertido, inteligente, aconchegante. Pena que poucos terão o prazer e a coragem (sim, pra muitos é um esforço tremendo ir num cinema ver filme de brega, como se desejasse mais ir pra Faixa de Gaza) de assisti-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário