25 de abr de 2014

O pop-brega de Gaby.

Pois bem,
A galera fica enchendo o saco "ah, vc não pode falar de Gaby, ela tá fazendo sucesso etc etc", mas a ideia é bem essa. Gaby é uma artista ímpar. Simpática, talentosa, determinada, porém os caminhos que ela está seguindo está se desvirtuando um pouco da sua origem e justamente pela mídia/bem vista pela sociedade/ibope e por aí... Mudar é sempre bom e toda mudança causa estranhamento. Tô achando estranha essa situação, mas como fã, admiradora e blogueira fico na torcida pra que tudo dê certo. Admiro Gaby e isso não vai mudar.


Concordo bastante com sua crítica a respeito dos novos rumos de Gaby Amarantos. Tenho um blog de música brega e desde muito tempo acompanho o trabalho dela. Sou fãzona e todo show em Recife eu fui/vou, porém fiquei desapontada com alguns pontos dessas novas mudanças.

Sentirei falta das guitarras que lembravam Mestre Vieira, da pegada brega-romântico-tecno que estava presente em todas as músicas. Treme é um cd perfeito!

 Das origens que estão se perdendo por conta da fama e principalmente dos novos produtores (do sudeste, que acha que entende de tecnobrega-brega nortista e nordestino, mas muitas vezes se engana). Fico feliz pela ascensão de Gaby na mídia, mas por outro lado a sua música perde o sentido... Tenho medo de virar pop pra o povo deglutir melhor.

Adoro Gaby, a admiro muito, mas como blog bregueiro e crítico não poderia deixar de dar minha opnião... Beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário