9 de fev de 2011

Pinduca

Aurino Quirino Gonçalves, vulgo PINDUCA, nascido em Igarapé-miri/Pará (pra variar), é conhecido como o "Rei do Carimbó", criando ritmos como Sirimbó, Lári-Lári, Lambada e Lamgode. Em 2008 mais ou menos ele fez um show em Recife mas na época não pude ir... pena. Pena nada, isso é desculpa pra eu ir em Belém arrasar nos shows das aparelhagens e ver essa gente influente da música brega.

Essa eu só ouvia ao som da banda Labaredas, mas é de Pinduca hein? Cavalo velho



"Quando o amor chega assim dessa maneira (sorrateira, desconfiada, infame...)
A gente nem leva em conta
O amor mais se parece igual a flor refloresce
E o sol logo desponta

Cavalo já não trabalha
Porque está velho e cansado (pangaré do Pica-pau)
Porém não se leva em conta
Que o coração abrasado
Quando lhe soltar a rédia
É um cavalo disparado
E se uma égua se assanha
O cavalo velho resiste (num instante fica novo e disposto)
Parece cavalo novo (num falei)
Que nunca dá bola a velhice
Esquece o seu castigo e o trote mais antigo

Quando o amor chega assim, chega assim, dessa maneira
Se amam e se desculpam (entre tapas e beijos)
Querer-se não tem horários
Nem data no calendário (esse trecho arrasou!)
Quando os desejos se juntam

Cavalo já não trabalha só toma leite e mingau (virou gato)
Bem cedo toda semana vai de mansinho ao curral
Vai ver se sua égua amada passa bem ou passa mal
Ao potro dá tempo ao tempo
Porque lhe sobra vaidade
Cavalo velho não pode até passou da idade
Porém depois desta vida
Não há outra oportunidade"

E agora um trava língua carimbozal: A aranha arranha a jarra



Agora a melhooooor dele: Sinhá pureza (sim, você com certeza já ouviu essa música com Calypso)



"Ô lelê ô lalá!" pra vocês! B-jos

Nenhum comentário:

Postar um comentário