29 de abr de 2011

"Índia" e "Eu te amo, eu te venero", de Paulo Sérgio

"O cantor e compositor capixaba (quem nasce no Espírito Santo) iniciou sua carreira em 1968, no Rio de Janeiro, lançando um compacto com o sucesso Última Canção. O disco obteve sucesso imediato e vendeu 60 mil cópias em apenas três semanas, transformando seu intérprete num fenômeno de vendas. A despeito da curta carreira (faleceu aos 36 anos), Paulo Sérgio lançou treze discos e algumas coletâneas, obtendo uma vendagem superior a oito milhões de cópias. Paralelo ao sucesso meteórico de Paulo Sérgio, surgiu a acusação de que o mesmo era um imitador do cantor Roberto Carlos, dada a semelhança do seu timbre vocal."
Tirei descaradamente do Wikipedia

Eu te amo, eu te venero

Índia. Essa é conhecidíssima, principalmente na voz dos outros


"Índia teus cabelos nos ombros caídos
Negros como a noite que não tem luar
Teus lábios de rosa para mim sorrindo
E a doce meiguice deste teu olhar (que letra romântica, gostei)

Índia da pele morena, da boca pequena eu quero beijar
Índia, sangue tupi
Tens o cheiro da flor
Vem que eu quero lhe dar
Todo meu grande amor

Quando eu for embora para bem distante
E chegar a hora de dizer adeus (Pocahontas)
Fica nos meus braços só mais um instante
Deixa meus lábios se unir aos teus (hummm)

Índia levarei saudade da felicidade que você me deu
Índia a tua imagem, sempre comigo vai
Dentro do meu coração
Flor do meu paraguai"

Com Roberto Carlos "a imitação"

Nenhum comentário:

Postar um comentário