25 de jun de 2011

Do brega ao gospel.

Já faz um tempo que li uma reportagem com Valéria Valenssa, ex-Globeleza, falando de como a sua vida mudou depois que a Globo tirou seu posto. Ela entrou em depressão, sentiu sua vida cair pois achava que sua fama seria eterna. Não foi - claro, quem é da minha geração pra trás não esquece dela, da "mulher de Hans Donner" -, como era de se esperar. Pra 90% dos que vivem na/da mídia, tudo é efêmero. São de fato "15 minutos de fama", tem que se aproveitar ao máximo. Outro caso parecido e mais recente é o de Deborah Blando, que teve um monte de problema, foi sufocada e abandonada pela mídia, mas agora está voltando. Agora sim ela está "raiaaando o soool" pra valer!
Pra não me perder no assunto e acabar falando coisa que não deve (ainda) digo logo o porquê desse post: por que essa gente que era da bagaceira, do corpo explícito e das músicas românticas/ de duplo sentido estão virando evangélicas? A gente às vezes brinca dizendo "aah, evangélico é tudo ex: ex-traficante, ex-drogado, ex-prostituta, ex-gay, ex-bandido", mas é fato. Depois de uma vida tão agitada, tão "mundana", tão pecaminosa, tão do "Satanás" (não gosto dessa palavra nem desses termos, afinal, cada um DEVE ser feliz sem prejudicar os outros, preservar os bons relacionamentos e pensar em deixar um mundo melhor para as futura gerações. Se assim o fizer tá beleza). Será arrependimento, será o Espírito Santo invadindo o ser de cada um deles, será esperança, será o "eu quero ir pro céu, vou me redimir logo"? Pra mim o mais sensato é achar que é cansaço e conforto: cansaço de coisas efêmeras (o que falei lá em cima), de coisas que dão e passam, que não se firmam (Jesus é firme e fiel), que não dão garantia; e conforto, pois só Ele pode oferecer isso. Pra mim, a resposta mais sensata seria essa.
Com Valéria foi mais ou menos assim. No mundo musical, já trouxe aqui um exemplo de Mylla, ex-Companhia do Calypso. Outros exemplos:

Daniel Diau, ex-Calcinha Preta, que cansou de chamar Pauliiiiiiiiiiinhaaaaa e resolveu chamar a Deus.



Mara Maravilha, que cansou de dizer que é um índia, que é filha da lua, que de noite fica sozinha "a perigo" e agora canta que não faz mal, ela tá carente, mas estando com Deus, tá tudo legal.



Outro caso é o de Alberto River, ex-Mastruz com Leite, que cansou de ser vaqueiro e gritar "valeu, boi!" e agora fica "neco de se apaixonar" por Jesus.



E eu não duvido, não duvido mesmo, o Calhypsooooooooo virar banda gospel.



Mas antes de Calypso, vamos com Divino Amor, com Calypso Melody (que parece versão de If you - Magic Box).



O que vocês acham? Dando uma olhada em cartazes e reportagens percebi isso e resolvi compartilhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário