25 de nov de 2012

E no Batida Vertical prevaleceu o regionalismo.

No Rebdull Batida Vertical com ritmos manguebeat, hip hop, funk e tecnobrega deu manguebeat. Claro, aqui em Pernambuco cada um vai puxa a própria sardinha... ou o próprio bolo de rolo. Não pude ver a batalha, vi apenas a apresentação inicial de cada um dos ritmos. O cara Jeff Bass (SP) tocando hip hop foi o que mais me chamou atenção, fera mesmo. O funk é aquilo mesmo, embora o Dughettu também fosse muito bom (todos doidos por uma "máquina" daquela de batida pra brincar em casa, hahaha). Leo B que me perdoe, mas ele não me contagiou. Batida fraca que não lembrava manguebeat. Já Waldosquash, claro, era o meu preferido da noite. No final a disputa foi entre manguebeat e tecnobrega... Deu mangue! Como disse Waldosquash num rápido papo no facebook "Ficou no final a gente e o manguebeat. Prevaleceu o regionalismo". 
Na edição de Belém a batalha foi entre Gaby Amarantos e Nando Reis. Deu Gaby, não possivelmente pelo regionalismo (ou bairrismo), mas pelo fato de serem ritmos diferentes. Na edição olindense os quatro (não sei porquê 2 a mais) ritmos era de batida forte, o que poderia igualar a disputa. A proposta do Redbull é excelente, principalmente pra quem gosta de música. 

Praqui não ficar sem video coloquei esse com qualidade ruim, mas tem outro muito bom >>> Link <<<

Beijoooos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário