15 de set de 2011

Quem é profissional aqui?

Gutto Di Liporacci, vocalista da banda Aphrodite, fala no Comunicando na rua sobre a onda dos MC's aqui em Pernambuco. Se vocês clicarem na aba "MC's Recife" aqui no blog (lado direito) verão alguns comentários semelhantes aos de Gutto, embora ele tenha explorado mais as verdades dos bregas do momento. Vale a pena conferir!



1- Num primeiro momento achei que fosse "invejinha". Sabe aquela coisa de você lutar por algo e vir alguém com (aparentemente) menos conhecimento/talento e passar na sua frente? Ninguém gosta de injustiça, mas na vida muita coisa gira em função da sorte (ou destino, como preferir). Os MC's chegaram pra ficar, pra ficar por tempo determinado. Uma hora o fogo baixa e eles estão certíssimos em aproveitar a fama agora. O que não dá é essa procriação de MC mais rápida que de coelho.

2- A associação da denotação MC eu acho válida, afinal, é a mistura da batida funk + baixaria (não venha me dizer que o funk só tem letra bonita) + roupas 3x o seu tamanho. Inspirando-se ou não, plagiando ou não, Recife deixou o Pará de lado e resolveu entrar na moda carioca.

3- "Não vejo nada demais" em Sheldon. É, MC Leozinho é o precursor, Ninja MC é o afinado da história e, a melhor parte, "O Cego sem Metal não é Cego e o Metal sem Cego não é Metal". Eu imagino uma pessoa que não é de Recife, não sabe direito da história, ouvindo essa entrevista. Vai endoidar (ou rir)!

Beijos!

5 comentários:

  1. Parece ter algo pessoal aí. Concordo que alguns estão trocando o esforço de se fazer algo com qualidade pelo conteúdo sexual explícito... mas devemos defender quem é daqui, o cara falou no vídeo que virá gente do Rio pra cá e vai fazer e acontecer que se dane quem venha, é pra sentir medo? longe disso. Se isto é um modismo que logo passará eu pergunto: o que não passou? tudo de bom ou de ruim passará um dia menos as palavras de Jesus Cristo já dizia o próprio. Vamos em frente em busca da nossa identidade e personalida como já fizeram alguns Estados. Pernambuco é assim quando querem fazer algo vem outro Pernambucano pra querer derrubar, só aqui é desse jeito. Se liga!

    ResponderExcluir
  2. Como o repórter falou "Cadê Reginho?". Muitas bandas de brega recifense, muuuuitas mesmo, tiveram seu momento e sumiram, poucas continuam fazendo sucesso até hoje. Não tô dizendo que é pra ter medo de quem vem do Rio, de São Paulo ou da baixa da égua como diz minha avó, mas querer que a identidade de Pernambuco seja "novinha kika" e "posição da rã" é meio vago pra cultura que Pernambuco tem e pode oferecer.
    Criticar não é querer derrubar apenas, mas dar uma alerta pra que os mc's se desenvolvam enquanto cantores e enquanto demonstradores de um cenário musical tão conhecido e tão histórico como o nosso. Como já escrevi aqui, eu gosto de muitas músicas funk/brega, de ouvir sem parar, de ver os clipes trocentas vezes, de rir com as letras, mas nem por isso quero que a imagem brega seja apenas essa. Se liga também ;)

    ResponderExcluir
  3. Caros amigos: vejam o que diz a lei:Sindicato dos Musicos Profissionais do Estado de Pernambuco LEI Nº 9.610/ 1998
    Altera, atualiza e consolida a Lei do Direito Autoral,LEI N° 3.857 - DE 22 DE DEZEMBRO DE 1960 • Cria a Ordem dos Músicos do Brasil e dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão do músico e dá outras providências. Após tomarem o devido conhecimento do teor das leis aqui elencadas,passo a exclarecer as dúvidas ! Para se exercer profissao regulamentada,é nescessário a devida HABILITAÇAO PROFISSIONAL,chancelada pelo CONSELHO REGIONAL OU FEDERAL E PELA DELEGACIA REGIONAL OU FEDERAL DO TRABALHO. No meu caso possuo;REGISTRO PROFISSIONAL DE MÚSICO - PELO CONSELHO REGIONAL ORDEM DOS MÚSICOS DO BRASIL - PE E DE RADIALISTA(LOCUTOR ANIMADOR/OPERADOR DE ÁUDIO) PELO SINDICATO DOS RADIALISTAS DE PERNAMBUCO E DELEGACIA REGIONAL DO TRABALHO SEÇAO PERNAMBUCO. Agora no tocante a uso indevido de obra fonográfica nao autorizada pelo titular,trata-se de crime previsto no CPB, que os interessados iram cobrar pelo uso indiscriminado das usas obras ! Além da má qualidade nas letras,nas execuçoes dos samples e beats, esses mc´s de Recife, ainda descaradamente assasinam a gramática !!! Pobrema,nós vai,mulé,nós trousse,nós vai,e etc etc... nós procuramos fazer música de qualidade,pergunto a colunista: conheces: EARTH,WIND & FIRE,KOOL AND THE GANG,LAKESIDE,BAR KAYS, O´JAYS,NINNA SIMONE,JEFFREY OSBORNE, LTD,THE STYLITICS,SHALAMAR,THE CHI LITES,DEBRA LAWS, GLADY´S KNIGHT,ROBERTA FLACK,DONNY HATTHAWAY.BARRY WHITE,PHILLIP BAILEY,CHAKA KHAN, LUTHER VANDROSS,CURTIS MANFELD,JAMES "JT" TAYLOR ??? ESSE É O SOM QUE CURTO EM MINHA CASA, SOU DE FORMAÇAO BLACK: SOUL,R & B,FUNK,SPIRITUAL, GOSPEL... SOU O INTRODUTOR DO BLACKMELODY EM PERNAMBUCO, E AGORA CRIAMOS O TECHNO-LATINMELODY, GRAVAMOS EM PLATAFORMA NAO LINEAR HD3, E PROCURAMOS VALORIZAR NOSSA CULTURA, O BREGA-POP 100% PERNAMBUCO,PRODUZIDO EM PERNAMBUCO PARA TODO O BRASIL ! QUE OS SRS MC´S RETORNEM AS SUAS RAIZES: O FUNK- LIXO, QUE É O LUGAR DELES !!!
    GUTTO DI LIPORACCI - LIDER DA BANDA APHRODITE

    ResponderExcluir
  4. Eu não disse que a imagem da música pernambucana deve ser isso que você mencionou, eu não nasci ontem e sei do que Pernambuco já produziu e produz em termos de música ou não, eu só tentei dizer que em outros estados quando se faz algo mesmo sendo ruim não se vê muito do que acontece aqui em nosso estado. Por que será que em nosso carnaval o Axé reina mesmo com músicas de qualidade duvidosa? Quero deixar claro também que eu não concordo com esta banalização do sexo nas músicas e dos MC`s, isto demonstra também falta de criatividade e profissionalismo, mas se algo está ruim em nossa música então que surja outros MC`s ou outro ritmo ou movimento com melhores canções e atitudes, creio que esta deve ser a verdadeira crítica. Eu só achei errado o modo como Guto falou em tom ameaçador e preocupado com alguns plágios que não foram das músicas dele, a imagem que ficou da entrevista é que Pernambuco não passa de um reles ladrão. Talvez eu devo ter me pronunciado errado ou meu modo de ver certas coisas sejam equivocados, mas fico desnorteado ao ver alguém falar mal de algo daqui de Pernambuco independente da qualidade, já basta o preconceito que ainda hoje sofremos. E pra finalizar, eu sou completamente a favor da crítica, mas existe crítica construtiva e a destrutiva, é só um detalhe que faz uma enorme diferença. O meu comentário foi para o que ví no vídeo e não do que li no texto abaixo do vídeo.

    ResponderExcluir
  5. Ah, tudo bem e concordo quando você diz que "Por que será que em nosso carnaval o Axé reina mesmo com músicas de qualidade duvidosa?". Por incrível que pareça, na minha opinião, isso é uma grande semelhança com o brega no Pará. Conversando com gente de lá, muitos me dizem que o Pará tem um grande potencial (e issoé visível), mas não se explora, se intimida, se rebaixa, mais ou menos isso. Pernambuco às vezes é assim, embora seja muito bem visto pelos outros estados (por manguebeat, por bandas alternativas, mas por brega ainda é pouco).
    E já percebesse que a cada novo MC a música fica mais pornográfica, mais indecente? É totalmente o contrário do que tu propôs. Pra eles (e as pessoas gostam disso, infelizmente) o sucesso vem de forma fácil, com letra vazia e ritmo contagiante.
    Repito, a crítica de Gutto para mim não é destrutiva, visto que quer alertar os mc's que brega não é só isso que eles cantam não. Pra gente de fora, os "plageados" por exemplo, taxar os bregas daqui de música sem qualidade é um pulo. O preconceito geral que se tem com a música brega (de MC's a Augusto César) é causada justamente por essas músicas com pouco conteúdo. O ser humano só vê o que é ruim...

    ResponderExcluir