8 de set de 2010

Especialmente pras raparigas

Depois de acordar cedo, pegar engarrafamento, chegar muito tarde na facul e não ter cara de pau pra entrar na sala, venho com uma música "revoltada da vida!". Pra quem não lembra, não sabe ou finge que não sabe, rapariga em Portugal é o feminino de rapaz. No Brasil, a denotação é outra: amante, a outra, quenga, devassa e por aí vai, o sentido é sempre o mesmo. O que eu gosto nessa música é que além da letra ser mais baixa que eu, ela tem cara de barraco no Cais de Sta Rita às 6h da noite, do tipo que todo mundo olha e aplaude no fim. Sem mais delongas, vamos ao babado "Rapariga é você", da banda Beijo Bhom. Em seguida vem a resposta (se eu não me engano essa é a ordem dos fatos, haha).

A rapariga:


Pra baixar!

"Rapariga é você, mal amada (xinga e pisa no coração)
Não seja boba, ele engana você (tadinha)
Rapariga é você, mal amada
Não seja boba, ele não quer te ver.

Com muito carinho (seeei), conquistei seu amor (ô, que lindo)
Na minha cama ele geme sem sentir dor (geeeente do céu!)
Sempre me dá presentes, ele me traz flores (romântico ele né?)
Não lembra de você nem de outros amores"

* Desculpem-me pela qualidade do vídeo, mas a coreografia é algo fun-da-men-tal no brega.

A traída:


Pra baixar!

"Tire o meu nome da sua boca, cale a boca (já chegou chegando)
Não tem esse direito de me provocar
Já tomou meu homem, destruiu meu lar (mulher furacão)
E agora só quer se fazer de santa (sonsa, cocada de sal)
Pode ficar com ele, deixa a minha vida
Que eu não vou dar ouvido a uma rapariga (só o ouvido?)
Eu sei que ele pra mim vai voltar (mulher confiante é uma maravilha)

É uma questão de tempo ele te deixar! (tá vendo!)

Amor de rapariga não vinga não
Não tem sentimento, não tem coração (mas tem outras coisas)
Eu sei que logo ele vai perceber (quando não tiver nenhuma das duas)
Essa é a diferença entre nós duas
Todo homem quer uma mulher só sua (ou duas, três...)
Tô esperando ele vindo de você (ele vai voltar acabado, melhor arranjar outro)"

Moral da história: homem tá tão difícil que a mulher se sujeita a isso. O cara nem aparece, tá numa de gostosão e as duas ficam se estapeando com palavras, numa disputa mais emocionante que Irã e Iraque, com o KUwait no meio. O ó! Chama Cardinot ou Márcia Goldsjcnkuiumtlsd, quem sabe dá certo. Por outro lado, o que me faz também gostar mais ainda de brega é a intensidade da letra... Não existe máscara, filosofias tais e sim a realidade mesmo. Assim como existe o romantismo, os desejos inconscientes, a melodia, a poética e tudo mais de uma MPB por exemplo, existe a gaia, a quenga, a briga de casal, o barraco também. É uma questão de diversidade, apenas!

Beijoos!

3 comentários:

  1. Adoreeeeeiiiiiii OVELHA NEGRA fechaaaaa

    Eu adoro o ritmo Brega Pernambucano por causa da Palas e Ovelha Negra. Muito bom curtir os sucessos novos e antigos da Ovelha Negra. Tava vendo um site com suas novas músicas www.palcomp3.com.br/bandaovelhanegra
    Acho que você deveria postar mais coisas sobre a banda, tipo assim, a história, outras coisas mais. Mas está de parabéns!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Danilo, que bom que gostou. Adorei também a sugestão de saber mais sobre a banda, tenho um contato deles e não fiz isso ainda por falta de tempo. =p
    Beijãaaao

    ResponderExcluir